A população adulta brasileira cada dia mais pobre, 41% tem restrição no CPF

Publicidade

Publicado em:

10 de
maio

Autor:

Globo.com

Aproximadamente 62,2 milhões de brasileiros terminaram abril com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou compras parceladas. O número representa 41% da população adulta do país. A estimativa é do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).


De acordo com o SPC e CNDL, o número de brasileiros nos cadastros de devedores aumentou em abril. O crescimento de inadimplentes foi de 3,54% em relação a abril de 2018. É a sétima alta consecutiva na série histórica do indicador.


Em comparação ao mês passado, o indicador apresentou um acréscimo de 0,04%. De acordo com a pesquisa, o crescimento da inadimplência nacional foi puxado pela região Sudeste, que teve como alta 8,56% em abril em relação a março.


Seis em cada dez famílias (60,2%) relataram ter dívidas


O motivo do aumento, segundo a SPC Brasil e CNDL, foi a revogação de uma lei no estado de São Paulo, que limitava o processo de registro de inadimplência. Com a derrubada da lei, registros que estavam represados foram inseridos de uma vez só na base de devedores.


Nas outras regiões, também foram observadas altas. No Centro-Oeste, o aumento foi de 3,37%, enquanto que no Nordeste e Norte, de 3,34%. A região Sul registrou 1,86% no crescimento de inadimplentes.


Segundo o indicador, a maior parte dos inadimplentes está na faixa dos 30 aos 39 anos. Aproximadamente 17,6 milhões de consumidores com contas atrasadas nesta faixa etária. Em segundo lugar, estão os consumidores com idade entre 40 e 49 anos (13,8 milhões) e em terceiro os adultos de 50 a 64 anos (12,7 milhões).


O indicador de inadimplência do consumidor contabiliza todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil e a CNDL têm acesso. Os dados são das capitais e cidades do interior de 27 unidades da federação.



Portal: Globo Expresso.Com


Compartilhar