Quinta, 19 DE abril DE 2018 14:45:03

Filme ‘Nada a Perder’, incomoda a emissora Globo, Estadão, Folha, Exame, Veja




Publicado em:

14 de
abr

Autor:

Globo.com

A primeira semana de exibição do filme Nada a Perder, que estreou dia 29 de março, foi marcada por cinemas lotados e elogios do público (informação que o R7 foi um dos poucos a mostrar). Porém, foi marcada também por uma campanha depreciativa de parte da imprensa, ecoada por quem enxerga tudo através das lentes de seu preconceito. Para essas pessoas, do alto de sua ignorância, qualquer coisa que envolva o nome Edir Macedo ou Igreja Universal deve necessariamente ser ruim.


Isso ficou claro na cobertura da imprensa brasileira, capitaneada pelos jornais O Globo, do Rio de Janeiro, e O Estadão, de São Paulo. Os dois fizeram praticamente a mesma reportagem no dia da estreia do filme. E quando digo “praticamente a mesma”, chamo atenção para uma infinidade de “coincidências” nos dois textos, desde o posicionamento, os dados levantados, até as redes de cinema (ambos visitaram um Espaço Itaú e um Cinemark), a escolha de palavras e a conclusão a que tentam fazer o leitor chegar. A tentativa de manipulação é tão descarada (assim como o fato de que os dois receberam a mesma pauta encomendada) que não é possível que eu tenha sido a única a notar.


Publicidade

A estratégia é a mesma utilizada na época do lançamento do filme Os Dez Mandamentos. Na ocasião, escrevi um artigo chamado Os cinemas vazios do UOL, mostrando a manipulação de fatos para criar a mentira de que os números da pré-venda não eram reais.


A motivação dessa mídia, é distribuir os óculos do preconceito aos leitores. Espalhar a ideia de que membros da Universal não são capazes de fazer suas próprias escolhas — ou sequer comprar seus próprios ingressos para o cinema. E a ideia de que um conteúdo que tenha como tema Igreja Universal ou Edir Macedo não seria de interesse de ninguém.


Publicidade

Um esforço intenso tem sido feito na esperança de descredibilizar o filme e fazer com que as pessoas transfiram para ele o preconceito que têm contra a Igreja Universal, e uma horda de papagaios repete, sem raciocinar, aquilo que repórteres escreveram também sem raciocinar. A lista de veículos envolvidos nesse esforço desesperado não para de crescer: O Globo, Estadão, Folha, Exame, Veja, entre outros menores.


PUBLICO LOTAM OS CINEMAS EM TODO BRASIL


O que aconteceu na mídia durante esses primeiros dias de exibição do longa só prova que o filme mostra o que acontece de verdade, nos bastidores do sistema apodrecido que se aproveita dos preconceituosos de plantão para espalhar seu veneno. Tudo isso é para tentar desencorajar as pessoas a irem ao cinema? Tudo isso é para evitar que elas vejam como se fabrica uma notícia? Se for, falta um pouquinho mais de esforço para, pelo menos, não subestimar a inteligência de quem não tem preguiça de pensar.



"NADA A PERDER O FILME"



Portal: Globo Expresso.Com


Interessantes

Compartilhar